metas de vendas

Metas de vendas: como a gamificação pode auxiliar esses números

As organizações se preocupam constantemente com gestão, capacitação e planejamento, o que resulta em grandes metas de vendas a serem batidas.

Mas essas metas não serão batidas só por existirem, é preciso muito trabalho por trás da meta para que o resultado desejado seja alcançado.

Uma técnica que pode ajudar a conquistar esses objetivos é a técnica de gamificação. Segundo Maurício Pradella, “a gamificação nada mais é do que utilizar mecânicas dos jogos utilizados para fins de entretenimento e aplicá-las em contextos relacionados ao seu trabalho, escola e família”.

Segundo o portal de notícias G1, o faturamento do mercado de games no Brasil em 2016 foi de US$ 1,6 bilhão, um crescimento de 25% desde 2014, que faturou US$ 1,28 bilhão.

Nos últimos oito anos, o número de empresas com foco em desenvolver games aumentou quase 600%, segundo a mesma pesquisa.

Já a Markets and Markets afirma que o mercado de gamificação no mundo de chegar a US$ 5,5 bilhões em 2018.

No artigo de hoje vamos mostrar como a gamificação pode te ajudar a bater suas metas de vendas e até superá-las.

Como utilizar gamificação para auxiliar as metas de vendas

Existem duas formas de utilizar a gamificação para este fim: focando o game no cliente ou no colaborador.

Ambas as maneiras são eficazes, cabe a empresa estudar seu mercado e organização interna para saber qual estratégia vai se adequar melhor.

Foco no cliente

Ao criar conteúdo gamificado com foco no consumidor, você o coloca em uma realidade alternativa em que o foco deixa de ser o comprar e passa a ser a diversão e interação do game.

Algumas empresas inclusive já fazem programas de fidelidade em formato de jogo, para transformar a experiência de compra em algo mais lúdico e, de certa forma, interessante.

Uma ideia para fazer isso é criar uma plataforma em que os clientes possam acessar e criar seu próprio avatar e que este avatar vá evoluindo conforme o cliente compre novos produtos na loja.

É importante que algum benefício seja dado ao cliente através desse jogo. Você pode pensar em descontos, privilégios, acesso a conteúdos exclusivos ou novos lançamentos antes dos outros consumidores.

Aqui vale a criatividade e entender seu mercado e seu consumidor, para oferecer as vantagens certas.

Foco no colaborador

Agora, ao criar um conteúdo gamificado com foco no colaborador é preciso saber trabalhar a motivação através de desafios e premiações.

Segundo Maurício Pradella, “com a gamificação é possível tornar as pessoas mais produtivas, pois conseguimos transformar o ‘ter que fazer’ em ‘querer fazer’”.

Segundo Ryan Jenkins, 61% dos CEOs, CFOs e outros executivos dizem que fazem pausas para jogar no trabalho e mais da metade deles disseram é porque se sentem mais produtivos.

Da mesma, segundo a Talent LMS, quase 80% das pessoas dizem que seriam mais produtivos se a empresa em que trabalham fosse mais parecida com os jogos.

Ou seja, adaptar as metas de vendas da empresa para pequenos desafios e disponibilizá-los para os colaboradores sempre oferecendo algum prêmio em troca.

Essa premiação pode ser monetária ou em forma de vale-livro, vale-curso, reconhecimento dentro da organização e até oportunidade de promoção na firma.

Também é importante criar um ranking em que você disponibilize as pontuações de cada colaborador a todos os jogadores e deixa visualmente disponíveis a informação de quem está “na frente”.

Assim, é criada uma competição saudável entre os colaboradores, que passarão a comentar sobre o game dentro da empresa e buscar as melhores colocações.

Para ambas as abordagens

Tanto para desenvolver games focados no cliente, quanto no colaborador, algumas regras são substanciais e é delas que falaremos agora.

Para o seu jogo ser um sucesso é preciso trabalhar o caráter lúdico da brincadeira. Nada de layouts sem graça e institucionais, trabalhe o imaginário e a criatividade através de um tema interessante e diferente.  

Vale lembrar que as metas de vendas precisam de atenção na hora de serem criadas, do contrário, não há técnica que faça com que elas sejam batidas e gerem retorno.

Apesar de não ser fácil enxergar se as metas de vendas estão realmente adequadas para a sua empresa, existem duas perguntas que podem te ajudar a resolver essa questão.

Como saber se as metas de vendas estão adequadas?

Para saber se as suas metas de vendas estão adequadas à realidade da sua empresa e têm capacidade de gerar bons retornos, responda às duas perguntas abaixo:

  • Minhas metas de vendas são alcançáveis?
  • Minhas metas de vendas são desafiadoras?

Se você respondeu “sim” para essas duas perguntas simples, parabéns, suas metas estão adequadas. Do contrário, é preciso revê-las, e vamos explicar o porquê.

Quando as metas não são alcançáveis, ou seja, estão muito fora da realidade da empresa e é impossível sua equipe conseguir batê-las, elas tendem a desestimular sua equipe.

Acredite. Se seus funcionários não acreditarem que a meta é possível de ser alcançada, é muito provável que eles nem mesmo se esforcem para chegar perto.

Por outro lado, se as metas forem muito fáceis, ou seja, não forem desafiadoras, sua equipe nem vai precisar se esforçar para batê-las e vai fazer menos do que poderia ter feito.

Por isso, lembre-se: suas metas de vendas devem ser alcançáveis e desafiadoras. Só assim seus colaboradores irão se sentir desafiados a conquistar esse objetivo.

Vale lembrar que não é aconselhável diminuir o ritmo após bater suas metas. Parabenize seu time pelo resultado, criem um momento de comemoração e depois disso continuem o trabalho duro.

Exemplos de games

Como o foco do nosso texto é trabalhar o auxílio às metas de vendas, vamos dar alguns exemplos de temas que você pode abordar para trabalhar com esse objetivo.

 

  • Corrida

 

O tema de corrida estimula a competitividade e a ideia de “ultrapassar” literalmente seu adversário pode ser uma boa ferramenta de motivação.

Nesse tema não é necessário criar um ranking naqueles formatos tradicionais. A própria pista de corrida serve como ranking, uma vez que mostra onde se encontra cada avatar.

Além disso, o tema de corrida não limita sua criatividade à uma corrida de carros. Você pode optar por uma corrida de balões, por exemplo, em que a “pista” será a altura em que eles estão no céu.

  • Espaçonave versus alienígenas

Naquele formato de espaçonave atirando nos inimigos, temos a opção de trabalhar capacitação ou educação do próprio consumidor.

No primeiro caso, para trabalhar as metas de vendas você pode colocar objetos que representem os produtos e seus preços (que podem estar certos ou não). Quando o vendedor vir um produto com o preço errado deve destruí-lo.

Você ainda pode trabalhar esse tipo de game para os consumidores. Vamos supor que sua empresa é do ramo de cosméticos. Você pode criar um game com produtos para o cabelo e aí o jogador deve atirar naqueles que não for para cabelo.

 

  • Jogo de tabuleiro estilo dados

 

Você certamente conhece aquele jogo de tabuleiro clássico em que os jogadores jogam os dados e andam as casas com seus peões dentro do tabuleiro, não é?

Esse é um ótimo estilo de jogo para trabalhar gamificação, pois transforma as etapas em algo mais visual. Para isso, troque a aleatoriedade dos dados por mini-desafios que, ao serem cumpridos, dão ao jogador a oportunidade de andar no tabuleiro.

Para que as pessoas se sintam motivadas a cumprir esses pequenos desafios, você precisa oferecer bonificações para quando o jogador atingir determinada posição.

No caso de clientes, pode ser um brinde da loja ou um desconto; já para os colaboradores pode ser uma bônus monetário ou vale-curso.

Agora que você já sabe como utilizar a gamificação para bater suas metas de vendas, aprenda como criar uma campanha de vendas efetiva no nosso artigo sobre o assunto.