Arquivo do autor:engage

gamification engaja clientes e colaboradores

Como engajar colaboradores com a gamificação

Muitas pessoas ficam confusas com o termo “gamification” (às vezes traduzido para gamificação aqui no Brasil). A palavra “jogo” pode ser considerada um tanto inapropriada neste caso, pois muitos associam gamificação com jogo de videogame (longas horas em um quarto escuro).

Gamification, no entanto, é bastante diferente e um pouco mais científico: É a prática de sintetizar as mecânicas de jogos, com o objetivo de estimular o engajamento do usuário sobre seu desinteresse.

O apelo de Gamification deriva de memórias e habilidades que muitas pessoas aprenderam a partir de jogos. As mesmas motivações fundamentais como, as escolhas, engajamento e recompensas compõem sofisticadas aplicações de gamification, na atualidade. Por exemplos: vendedores podem ganhar recompensas quando atingem determinadas metas, e competir um com o outro para atingir essas recompensas.

Reconhecimento e o senso de competição são fortes motivadores, e a gamificação funciona por abordar estes fatores e manter os times de vendas engajados.

Gamification vai se tornar global

Em alguns setores, a gamificação começou substituindo técnicas de marketing e educacionais que demandavam muito tempo, perdendo eficácia em áreas como o desempenho organizacional, mudança social, relacionamentos de marca e desenvolvimento de talentos.

De acordo com especialistas da área, estima-se que o mercado de gamificação será uma indústria maciça e alcançou 2,8 bilhões de dólares em 2016.

O movimento é global. Recentemente, a Índia estabeleceu sua divisão de e-Governance Nacional (NeGD), convidando a mídia digital e agências de gamification para ajudar a transformar esse país em uma “fortalecida digitalmente e rica em capital intelectual.” E os grupos de eventos sociais estão crescendo cada vez mais: o evento holandês “Gamification World Meetup Netherlands” possui mais de 250 membros com o interesse de trabalhar com gamification ou procurar implementá-lo dentro de suas organizações.

O Gartner Group projetou que  50% de inovação empresarial seria “gamificada”. Todo esse interesse está acontecendo porque o conceito tem sido comprovado em motivar os funcionários e clientes. A SAP, por exemplo, está usando gamification para mudar a maneira como se envolve com seus 282.000 clientes.

“Gamification no ambiente de trabalho é sobre como fazer as atividades diárias do trabalho das pessoas melhor e como tornar a vida das pessoas melhor no ambiente de trabalho”, afirma Gabe Zichermann, especialista do setor e presidente da Gamification Summit.

Sweet spot de Gamification

A gamificação também está sendo usada no ambiente de trabalho das organizações para ajudar no treinamento, feedback, processos mais envolventes e melhorar a qualidade e eficiência do trabalho. Ao mesmo tempo, ela está transformando a produtividade em algo muito mais divertido.

O Advanced Learning Institute identificou oito maneiras que as organizações estão usando gamification:

  1. Aumentar o engajamento dos funcionários:  Usando a tecnologia de gamification para envolver ainda mais os funcionários em suas tarefas diárias.
  2. Melhorar o clima:  Programas que trazem diversão produtiva no local de trabalho.
  3. Novos talentos e colaboradores atuais: Criação de uma força de trabalho mais entusiasmada e altamente engajada, aumentando as taxas de produtividade e retenção em longo prazo.
  4. Construir a fidelidade à marca:  fazer os funcionários se sentirem que são parte de algo importante se tornando embaixadores da marca.
  5. Criar programas de treinamento: Gamificar o processo de treinamento para voltar a envolver e re-energizar o processo de aprendizagem.
  6. Aumentar a competição (saudável) no local de trabalho:  Ser um catalisador para a criação de uma concorrência saudável para uma maior produtividade.
  7. Promover e influenciar comportamentos desejados entre os funcionários
  8. Melhorar a colaboração dos funcionários:  Adotar o uso das ferramentas, tanto para clientes e funcionários.

Para todos os níveis empresa, o gamification eficaz integra softwares de engajamento em ferramentas e processos existentes. “Nós esperamos ver mais empresas que adotam tecnologias que integram gamification com plataformas como Salesforce, pois isto proporciona incentivos e emprega as mesmas técnicas de jogo que designers usam para manter os seus jogadores interessados, a fim de alcançar o engajamento necessário para as equipes de vendas baterem suas metas”, diz Jonathan Gale, diretor executivo da NewVoiceMedia.

A indústria de gamification tornou-se um tema cada vez recorrente entre as personalidades que participam das principais conferências sobre o assunto, como a Dreamforce, o Summit Gamification e Gamification World Congress, que nos últimos anos têm sido veículos úteis para espalhar a palavra sobre as melhores práticas e novos produtos.

Resolvendo problemas de longa data de trabalho

O maior fator de adoção da gamificação para o negócio é como ele ajuda a resolver alguns problemas profundos de quem trabalha em escritório. As pessoas estão cada vez mais distraídas com dispositivos móveis e rede social, e, enquanto isso, o trabalho envolve atividades um tanto quanto tediosas. Jogar no smartphone ou socializar nas redes sociais é muito mais atraente do que muitas atividades, e a gamificação está sendo usado para transformar essa realidade.

“Um dos meus exemplos favoritos vem da Delta Airlines”, diz Zichermann. “Eles tinham um projeto chamado” Ready, Set, Jet ‘ na Delta, onde a Delta precisava encontrar uma maneira de dos colaboradores do call-center fazerem mais treinamentos, se aperfeiçoando e capacitando mais. “A campanha contou com mini-jogos da empresa, chamado de “Ready, Set, Jet”, e conseguiu fazer que os colaboradores da Delta fizessem 4 anos de treinamento em apenas um único ano”.

Com resultados como esse, eu não tenho nenhuma dúvida que vamos ler muito mais sobre gamification nos próximos anos.

Quer saber mais sobre sua empresa pode gamificar tarefas chatas e aumentar a produtividade e lucro? Conheça a Engage, a plataforma gamificada que transforma resultado em estratégia.

Veja como a Cosan Lubrificantes conseguiu engajar distribuidores e colabores com a plataforma Engage.

Texto adaptado do artigo: http://www.entrepreneur.com/article/250093

Promove e Engage inovam com Gamificação para Gestão de Projetos

ProMove e Engage firmam parceria estratégica e constroem solução inovadora para Gamificação na Gestão de Projetos e Pessoas

A ideia da parceria é oferecer ao mercado uma solução completa e inovadora para implantação e execução da Gamification na Gestão de Projetos, que é uma metodologia voltada para aumentar a motivação e o engajamento do Time no alcance de metas estratégicas e de projetos.

A Gestão de Projetos é uma realidade em organizações de todos os portes e já representa um mercado tão grande que deve criar 13 milhões de novas vagas de gerente de projeto até 2020 de acordo com o Project Management Institute (PMI).

Todos os departamentos têm investido cada vez mais para trazer inovações em seus processos de trabalho. Uma destas inovações que ganham cada vez mais espaço é a Gamificação. De acordo com pesquisa feita pela OfficeVibe 70% das 2.000 maiores empresas do mundo (Forbes) já aplicam pelo menos uma técnica de gamificação em seus negócios.

Unindo estes dois fatores a ProMove, que tem atuação reconhecida e destacada pela consultoria em processos de TI, formatou em parceria com a Engage, a primeira plataforma de gamificação do brasil, uma solução inovadora para Gestão de Projetos e Pessoas.

A Gamificação em projetos ágeis ou tradicionais tem os seguintes objetivos:

  1. Permitir que existam erros e ideias, promover discussões amplas e abertas sobre os problemas, fraquezas organizacionais e limites pessoais;
  2. Disseminar o conhecimento entre todos de forma extremamente colaborativa, o conhecimento e a visibilidade nos libertam das fofocas de corredor e do mal-estar entre as equipes e;
  3. Aumentar o engajamento e consequentemente a produtividade do time.

Inovação na Gestão de Projetos com Gamificação

A ideia da parceria é oferecer ao mercado uma solução completa e inovadora para implantação e execução da Gamification na Gestão de Projetos, que é uma metodologia voltada para aumentar a motivação e o engajamento do Time no alcance de metas estratégicas e de projetos.

A motivação e a criatividade estão diretamente ligado à um ambiente leve, harmonioso e fértil para a proliferação de ideias, a gamification tem se mostrado eficaz para este objetivo Analia Irigoyen, uma das sócias fundadoras da ProMove.

A ProMove é uma consultoria especializada em ajudar empresas de software ou serviços a serem mais competitivas. Já a Engage, especializada em utilizar as técnicas dos games para engajar colaboradores, oferece experiências lúdicas e diferenciadas para motivar funcionários em prol do objetivo comum da organização.

Temos certeza que a parceria com a ProMove consolida ainda mais o ecossistema de parceiros da Engage, trazendo uma solução completamente inovadora – Maurício Pradella, CEO da Engage.

A junção de Gestão de Projetos e Gamificação é uma solução poderosa para garantir que qualquer plano saia do papel e seja, de fato, executado. Esta parceria já trouxe bons resultados tendo contribuído com diversas organizações tais como Inside Sistemas, pioneira e líder no segmento de software específico para gestão de empresas de segurança eletrônica, e PUC/MG, no curso de pós-graduação em Gerenciamento de Projetos.

Lançamento de Produto

Durante o ProMove Innovation Days, realizado em 22 de novembro no Rio de Janeiro foram apresentados diversos casos práticos de clientes que estão adotando este novo modelo de trabalho e lançado um novo produto, também fruto desta parceria: um jogo que tem como principal objetivo gerar conhecimento de forma lúdica.

O jogo é baseado no Shu Ha Ri: um modelo que busca guiar aprendizes até o momento do domínio do conhecimento. É um conceito originado de artes marciais, mas, como processo de aprendizado, pode ser utilizado em qualquer situação.

Para participar do jogo e saber mais sobre a parceria acesse: www.promovesolucoes.com e www.engagenow.com.br ou se preferir entre em contato diretamente através dos e-mails contato@promovesolucoes.com e contato@engage.bz.

Sobre a ProMove
A ProMove é uma com consultoria especializada em processos de TI e focada em resultados: redução de custo e aumento de produtividade e qualidade, atendendo os objetivos das equipes e da Alta Gestão.

Sobre a Engage
A Engage é uma plataforma de engajamento gamificada que promove a motivação dos colaboradores ao imergi-los no ambiente lúdico e interativo dos games. Esse tipo de estratégia aumenta os índices de produtividade e de satisfação dos funcionários com o trabalho, diminuindo o turnover e melhorando o clima organizacional.

indicadores de vendas

Indicadores de vendas: saiba como utilizar os 7 mais importantes

Os indicadores de vendas são de extrema relevância para a estratégia da sua empresa ou negócio.

Como a palavra já deixa claro, os indicadores de vendas vão apontar como andam os resultados do empreendimento, sejam eles positivos ou negativos.

Eles explicitam, com exatidão, a consequência das atitudes das ações realizadas pelos colaboradores e também pela liderança da empresa.

O professor da Business Harvard School Robert Kaplan, juntamente com David Norton, é criador do método de gestão BSC: Balanced Scorecard.

O estudioso possui uma frase bem conhecida que mostra a importância da medição de desempenho na qual afirma que “medir é importante: o que não é medido não é gerenciado”.

Para que algo seja gerenciado, é preciso que antes ele seja medido, mensurado. Não há como gerir sem possuir o conhecimento a respeito daquilo que se deseja administrar.

Se você tem interesse em saber melhor o que são os indicadores de vendas e como melhor aplicá-los no seu negócio, continue a leitura!

O que são então os indicadores de vendas?

Os indicadores de vendas podem ser entendidos como KPI’s, em inglês, Key Performance Indicators, ou seja, Indicadores-Chave de Performance.

São aqueles indicadores que não são apenas números, mas dados que medem o sucesso da estratégia da sua empresa.

Por estratégia entende-se o caminho que você precisa percorrer para sair de um ponto A e chegar em um ponto B. Ela é justamente o guia que te leva até lá!

Voltando aos indicadores de vendas, eles são aqueles números que vão mostrar a eficácia do seu processo de venda. Quando falamos em venda, sabemos que quanto mais melhor. Por isso, os indicadores são importantes para te mostrar se você está chegando aonde quer.

Continue a leitura para você saber os principais tipos de indicadores de venda e a utilidade que eles têm para o seu negócio.

A importância dos indicadores de vendas

Alguns dos indicadores que vamos mostrar a seguir, fazem referência ao funil de vendas. Mas o que é esse funil?

O funil de vendas diz respeito à jornada do cliente desde o momento em que o mesmo tem conhecimento da existência da marca, passando pela compra de fato da solução que é oferecida pela empresa e até a sua fidelização.

As etapas do funil costumam variar entre 5 ou 7. Não uma maneira fixa de vê-lo porque o mesmo depende do modelo de negócio em questão.

Mas algumas são essenciais, sendo a primeira delas a prospecção ou atração dos clientes em relação ao que é oferecido, é o momento em que ele descobre que você possui o que ele precisa.

A segunda etapa busca trabalhar com o reconhecimento do problema enquanto a terceira procura fazer o cliente considerar a solução que você apresenta.

Por último, tem-se de fato a venda do produto ou serviço e, posteriormente, a fidelização desse cliente.

É importante conhecer essa jornada porque muitos dos principais indicadores de vendas estão nas etapas do funil.

Além disso, sabendo exatamente qual parte do processo não anda muito bem, através do indicador e do conhecimento do funil de vendas, é possível traçar ações efetivas para aumentar as suas vendas.

Os 7 principais tipos de indicadores de vendas

Vamos então aos tipos de indicadores? Segue a leitura!

 

  • Número de leads gerados

 

Leads são os potenciais clientes do seu produto ou serviço. O setor de marketing costuma ser responsável por esse indicador por ele ser o principal em criar oportunidades para fazer a marca ser conhecida.

Ele pode ser mensurado através do número do alcance nas redes sociais, por exemplo.

 

  • Número de leads qualificados

 

Os leads qualificados são aqueles que foram nutridos com conhecimento pelo produto ou serviço, o que irá auxiliar na decisão do cliente por aquilo que você está oferecendo.

Esse indicador pode ser calculado através do número de propostas feitas, ou até mesmo a partir do número de orçamentos realizados.

 

  • Taxa de conversão

 

Esse é um dos indicadores de vendas mais importantes porque demonstra o número de pessoas que compraram o seu produto.

É um indicador que relaciona a quantidade de oportunidades geradas com a quantidade de vendas realizadas.

 

  • Ticket médio

 

Esse indicador é muito importante por ter relação direta com a lucratividade da empresa. Ele aponta o valor médio de cada pedido vendido.

 

  • CAC

 

É o Custo de Aquisição por Cliente. Ele mostra quanto foi necessário investir para que um potencial cliente se tornasse de fato um comprador da marca.

É necessário levar em consideração o custo das estratégias de marketing, bem como os da venda e do produto em si.

      Através desse indicador você pode fazer uma análise se o dinheiro investido em alguma estratégia está dando ou não o retorno esperado.

  • Número de negócios fechados

Aqui, são analisados os negócios fechados, ou produtos vendidos, em determinado período de tempo.

É importante ter o conhecimento desse número para a criação de novas metas que não deixem de ser desafiadoras e dentro da sua realidade de mercado.

 

  • Ciclo de venda

 

É importante mensurar esse indicador porque quanto menor o tempo entre o primeiro contato do cliente com o produto até sua compra, maior o número de pessoas que a área de marketing pode buscar atingir e captar.

Ter muitos indicadores de vendas pode ser prejudicial ao seu negócio, porque não vale a pena definir um indicador se ele não for devidamente medido e analisado.

Por isso, é importante determinar quais indicadores você acredita que vão agregar ainda mais resultado nas suas vendas.

Para saber quais indicadores de vendas você deve utilizar, tenha bem estabelecido qual é o objetivo principal que você quer atingir. A partir daí, liste quais possíveis indicadores têm um impacto direto no seu objetivo maior.

Dessa forma, você poderá medir e, portanto, como dito no início deste artigo, gerenciar os fatores que interferem naquilo que você almeja alcançar.

Os indicadores de vendas são de suma importância para que o seu empreendimento continue crescendo cada vez mais. Não deixe de ler nosso artigo sobre metas de vendas!

jogos empresariais

Jogos empresariais: aumente a receita da sua empresa ainda hoje

Aumentar as vendas é de interesse de todos aqueles que possuem um negócio. Contudo, muitas empresas acham que a única forma de fazer isso é dando descontos. Os jogos empresariais são uma oportunidade de fazer a sua receita crescer sem precisar necessariamente oferecer promoções.

Eles trabalham a motivação e o engajamento dos funcionários, melhorando o trabalho em equipe e o atendimento ao cliente.

Ficou interessado, não é? Então continue a leitura!

As vantagens dos jogos empresariais

Os jogos tiveram início na China, mas somente na década de 1980 foram popularizados como prática benéfica em meio a empresas e instituições de ensino aqui no Brasil.

Esses games são exemplos de gamificação que atuam diretamente na motivação e engajamento dos funcionários. E por isso são tão importantes!

Um funcionário motivado e engajado tem uma produção muito mais significativa, em torno de 50% maior, como aponta a pesquisa realizada em 15 países pela Right Management, empresa de consultoria com sede em São Paulo.

As mudanças que acontecem no mundo em decorrência da Era Digital, ocorrem a todo momento e fazem com que o mercado fique cada vez mais competitivo.

Para que as empresas se destaquem nesse cenário e continuem avançando, elas precisam de colaboradores que sejam flexíveis, capacitados, criativos e dinâmicos.

Como suprir essa necessidade? Através dos jogos empresariais! Por meio deles você pode aprender e treinar.

Conheça alguns dos principais objetivos dos jogos:

  1. Treinamento: através da prática aperfeiçoar habilidades e competências que são necessárias para desempenhar as funções do cargo ocupado pelo funcionário;
  2. Técnicas: ensinar novas metodologias que têm o potencial de alavancar as vendas e resultados da empresa, mas que ainda são pouco utilizadas pela equipe;
  3. Pesquisas: nos jogos você pode testar na prática o que dizem as teorias a respeito de vendas e até mesmo da própria economia.

Até aqui já deu para perceber que esses games são uma ferramenta eficaz para unir e motivar a equipe da sua empresa e consequentemente aumentar a produtividade e as vendas.

Mas então, o que são jogos empresariais?

Consistem em simulações que visam desenvolver e potencializar as capacidades e as habilidades que os participantes já possuem.

As simulações se baseiam em um contexto fictício no qual são expostas situações possíveis em um panorama real, que são comuns à empresa ou que podem vir a acontecer.

De maneira similar à gamificação, é possível gerar recompensas nos jogos empresariais para aqueles que tiverem um desempenho significativo durante o processo.

Ainda que os jogos sejam complexos, é melhor que o funcionário cometa um erro durante uma simulação do que durante o trabalho em si.

As situações propostas nos jogos empresariais vão desenvolver a habilidade das pessoas de trabalhar em equipe e permitir a reflexão nos processos da empresa.

Além disso, eles vão estimular a prática de responsabilidade na tomada de decisões, o que faz com que os funcionários tenham segurança na autonomia que possuem enquanto vendedores.  

Como os jogos empresariais são criados?

A construção dos jogos empresariais é feita seguindo algumas etapas bem básicas, mas essenciais para um jogo bem elaborado.

Continue lendo nosso artigo para ver quais são:

  • Exposição: esse é o momento inicial para esclarecer a proposta do jogo e a importância do mesmo para o desenvolvimento da equipe e potencialização dos resultados;
  • Elaboração do jogo: é interessante que a situação que será vivenciada no jogo seja criada em conjunto com os funcionários que irão participar do mesmo, para que eles se sintam parte do processo de decisão e, dessa forma, se envolvam ainda mais na prática;
  • Definição dos papéis: nessa etapa, deve-se decidir qual colaborador ocupará qual cargo, de maneira que todos saibam qual papel irão desempenhar durante o jogo;
  • Teste: esse momento se constitui em um ensaio de como o jogo irá acontecer. É uma maneira de envolver os funcionários na prática que está sendo implementada;
  • Execução: agora é a hora de colocar a mão na massa! Executar o que foi pensado na etapa de Elaboração lembrando que mudanças podem acontecer, para que o jogo sempre seja adaptável à realidade do desenvolvimento dos funcionários.

Já sabemos da importância dos jogos empresariais, o que eles são e como são criados na sua empresa. Agora vamos dar uma olhada nas modalidades mais comuns dos jogos.

4 modalidades de jogos empresariais

 

  • Jogos empresariais de mercado

 

Os jogos de mercado possuem o intuito de analisar incidentes do mercado a partir de sua reprodução, por exemplo, a relação entre empresas e fornecedores e também concorrentes.

 

  • Jogos empresariais de processo

 

São aqueles jogos que buscam desenvolver as habilidades técnicas dos participantes. Exemplos: liderança de grupo, administração de finanças e negociações.

 

  • Jogos empresariais funcionais

 

Focalizam nas áreas-chave dentro de uma empresa: Exemplos: jogos que abordam temáticas de marketing, recursos humanos e vendas.

 

  • Jogos empresariais sistêmicos

 

São jogos mais globais que abrangem aspectos e conhecimentos gerais da empresa. Normalmente são os mais complexos e os mais desafiadores.

O que os especialistas dizem sobre jogos empresariais?

Ainda tem dúvida se aplicar jogos empresariais na sua empresa vale a pena? Confira abaixo o que alguns especialistas falaram sobre o assunto.

“Com simulações, os alunos podem explorar o impacto de múltiplas decisões ao mesmo tempo.

“Também propicia aos alunos validarem o seu senso comum em relação a uma situação particular.” Professor Ricardo Ernest, Georgetown University.

“Os alunos estão todos misturados, tendo uma experiência real diferente ao ler sobre determinado caso. Simuladores baseados em equipes são de grande valia, pois fazem com que os alunos lidem com a dinâmica de grupos – assim como na vida real.” Professora Amy Edmondson, Harvard Business School.

“Uma simulação forçará os alunos a sintetizar e integrar o que leem e tomar decisões com base em fatos reais ou dados apresentados no ambiente. Simulações dão aos alunos uma dimensão temporal, uma oportunidade de experiência de resultados que mudam com base em suas escolhas ao longo do tempo.Professor Willi Shih, Harvard Business School.

Use da criatividade e aplique os jogos empresariais no negócio que suas vendas vão ser alavancadas! Além disso, venha conhecer um pouco mais sobre metas de vendas clicando aqui.  

como aumentar as vendas

Como aumentar as vendas: conheça técnicas infalíveis

A prática de vender é uma das mais antigas realizadas pelo homem, sendo uma atividade milenar e tendo surgido muito antes das vendas serem como conhecemos hoje. Por ser algo tão comum e importante, como aumentar as vendas é um dos questionamentos mais comuns entre micro e pequenos empresários.

É natural querer ver o seu negócio crescendo, e vender o seu produto ou serviço é parte fundamental do processo necessário para que isso aconteça.

No artigo de hoje vamos dar umas dicas de técnicas que vão te ajudar em como aumentar as vendas. Se liga!

Você já ouviu falar em gamificação?

Essa é uma técnica muito eficaz de como aumentar as vendas que pode ser utilizada dentro da empresa (com os colaboradores da mesma) e também com os seus próprios clientes.

Mas calma! Vamos explicar tudo direitinho para você aplicar no seu negócio que está crescendo e pode crescer ainda mais.

A maioria dos jovens inseridos hoje no mercado de trabalho foram aquelas crianças que viviam mergulhadas em jogos que possuíam diferentes níveis e recompensas por seus esforços durante as etapas.

Mas então, como aumentar as vendas com essa técnica? É simples!

O conceito de gamificação, ou gamification, consiste em usar elementos de um jogo em um contexto diferente, como um contexto empresarial, unindo a diversão e a recompensa em busca de um objetivo.

É uma maneira atraente de cativar os colaboradores e mantê-los motivados durante a execução de suas atividades.

Criar competições saudáveis com rankings de pontuação e benefícios para as entregas é uma das maneiras de aplicar a gamificação na sua empresa, o que resultará em um impacto direto nas vendas.

Outro ponto importante para manter a equipe motivada é permitir que as pessoas façam parte do processo de criação do jogo que vai ser desenvolvido e aplicado na empresa.

Utilizar da co-criação, um conceito cunhado por C. K. Prahalad, doutor em administração por Harvard, dentro do ambiente empresarial é fundamental para que o engajamento no propósito seja de fato eficaz.

Mas, como já foi dito, a gamificação para vendas pode ser aplicada dentro e fora da empresa.

Empregar esse conceito com o cliente significa estimular o envolvimento do mesmo com os produtos e serviços da empresa e retribuí-lo quando isso acontecer de forma positiva.

Uma possibilidade é oferecer uma pontuação para cada produto. Dessa forma, o cliente vai acumulando pontos em cada aquisição e, com o passar do tempo, pode se beneficiar da sua pontuação convertendo-a em novos produtos ou brindes.

Essa é uma maneira de como aumentar as vendas a partir da prática de manter o cliente conectado com o que acontece dentro do seu negócio.

Mas a gamificação não é a única forma de alavancar os seus resultados.

O que mais pode ser feito?

Bom, outra técnica que se mostra muito eficaz em diversas negociações é o SPIN Selling.

Já ouviu falar? Não? Tudo bem, a gente te explica!

Essa é uma metodologia criada em na década de 80 por Neil Rackham, um autor inglês.

Rackham criou o acrônimo SPIN no qual cada letra corresponde a uma etapa do processo de venda. A letra S significa Situação, o P, Problema, o I, Implicação, e o N significa Necessidade.

É importante que sejam feitas perguntas para que a situação do cliente seja exposta. Assim você poderá saber pelo o que ele está de fato passando.

Alguns exemplos de perguntas de Situação:

  • Pode me dizer um pouco mais sobre a situação que o seu negócio está passando?
  • Quais canais você utiliza para divulgar o seu produto?
  • Qual processo de vendas você utiliza?

As perguntas de Problema buscam fazer perguntas mais específicas sobre as situações descritas anteriormente. Exemplos:

  • Por que o seu processo de vendas está causando problemas?
  • Como a sua empresa contorna esses problemas?

Já as perguntas de Implicação têm o intuito de ajudar o cliente a perceber os impactos negativos dos fatos apresentados. Elas podem ser da seguinte forma:

  • Você já pensou no impacto negativo que esse problema pode ter para os seus clientes?

Por fim, pensando em como aumentar as vendas, as perguntas de Necessidade visam mostrar para o cliente o quão valiosa é a solução que você está apresentando.

Aqui, o vendedor precisa ser claro e demonstrar que está vendendo não só um produto ou serviço, mas de fato uma solução.

O objetivo é induzir o cliente a acreditar que você tem o melhor para a situação que a empresa dele está passando.

Alguns exemplos de perguntas de Necessidade:

  • O que acontece se nós conseguirmos melhorar o seu processo de vendas?
  • Você acha que uma análise quantitativa poderia te ajudar a melhorar o seu processo?

O SPIN Selling é uma estratégia de como aumentar as vendas a partir da solução que você tem para oferecer ao seu próprio cliente.

Através dessa técnica, você mostra o interesse que tem no sucesso do seu cliente. Esse fator é essencial para o fechamento das vendas.

Quando falamos em vendas, precisamos pensar em tudo o que está envolvido para o cliente. Ou seja, na hora de fechar ou não um contrato ou uma compra de algum produto, o cliente leva em consideração alguns fatores importantes. Como exemplo podemos citar o custo e o retorno que esse investimento trará para ele.

Como aumentar as vendas: conheça as técnicas mais simples

Existem muitas técnicas que nós podemos ensinar a você para você saber como aumentar as vendas do seu negócio, no entanto, de nada elas vão adiantar se o simples não estiver sendo feito.

Por isso, atente-se ao primordial do atendimento:

  1. Seja cordial;
  2. Tenha confiança na sua fala;
  3. Mostre empatia e interesse na dor do seu cliente;
  4. Escute o cliente com atenção;
  5. Chame o seu cliente pelo nome;
  6. Se certifique de que ele entendeu o que você quis dizer;
  7. Se certifique de que você entendeu o que ele quis dizer, a comunicação é essencial para o processo de venda;
  8. Esclareça a sua proposta falando a linguagem que o cliente vá entender.

Quer saber ainda mais como aumentar as vendas? Clique aqui, se informe lendo mais um artigo sobre o assunto e se inteire sobre as melhores estratégias que vão te ajudar a alavancar o sucesso do seu empreendimento!   

metas de vendas

Metas de vendas: como a gamificação pode auxiliar esses números

As organizações se preocupam constantemente com gestão, capacitação e planejamento, o que resulta em grandes metas de vendas a serem batidas.

Mas essas metas não serão batidas só por existirem, é preciso muito trabalho por trás da meta para que o resultado desejado seja alcançado.

Uma técnica que pode ajudar a conquistar esses objetivos é a técnica de gamificação. Segundo Maurício Pradella, “a gamificação nada mais é do que utilizar mecânicas dos jogos utilizados para fins de entretenimento e aplicá-las em contextos relacionados ao seu trabalho, escola e família”.

Segundo o portal de notícias G1, o faturamento do mercado de games no Brasil em 2016 foi de US$ 1,6 bilhão, um crescimento de 25% desde 2014, que faturou US$ 1,28 bilhão.

Nos últimos oito anos, o número de empresas com foco em desenvolver games aumentou quase 600%, segundo a mesma pesquisa.

Já a Markets and Markets afirma que o mercado de gamificação no mundo de chegar a US$ 5,5 bilhões em 2018.

No artigo de hoje vamos mostrar como a gamificação pode te ajudar a bater suas metas de vendas e até superá-las.

Como utilizar gamificação para auxiliar as metas de vendas

Existem duas formas de utilizar a gamificação para este fim: focando o game no cliente ou no colaborador.

Ambas as maneiras são eficazes, cabe a empresa estudar seu mercado e organização interna para saber qual estratégia vai se adequar melhor.

Foco no cliente

Ao criar conteúdo gamificado com foco no consumidor, você o coloca em uma realidade alternativa em que o foco deixa de ser o comprar e passa a ser a diversão e interação do game.

Algumas empresas inclusive já fazem programas de fidelidade em formato de jogo, para transformar a experiência de compra em algo mais lúdico e, de certa forma, interessante.

Uma ideia para fazer isso é criar uma plataforma em que os clientes possam acessar e criar seu próprio avatar e que este avatar vá evoluindo conforme o cliente compre novos produtos na loja.

É importante que algum benefício seja dado ao cliente através desse jogo. Você pode pensar em descontos, privilégios, acesso a conteúdos exclusivos ou novos lançamentos antes dos outros consumidores.

Aqui vale a criatividade e entender seu mercado e seu consumidor, para oferecer as vantagens certas.

Foco no colaborador

Agora, ao criar um conteúdo gamificado com foco no colaborador é preciso saber trabalhar a motivação através de desafios e premiações.

Segundo Maurício Pradella, “com a gamificação é possível tornar as pessoas mais produtivas, pois conseguimos transformar o ‘ter que fazer’ em ‘querer fazer’”.

Segundo Ryan Jenkins, 61% dos CEOs, CFOs e outros executivos dizem que fazem pausas para jogar no trabalho e mais da metade deles disseram é porque se sentem mais produtivos.

Da mesma, segundo a Talent LMS, quase 80% das pessoas dizem que seriam mais produtivos se a empresa em que trabalham fosse mais parecida com os jogos.

Ou seja, adaptar as metas de vendas da empresa para pequenos desafios e disponibilizá-los para os colaboradores sempre oferecendo algum prêmio em troca.

Essa premiação pode ser monetária ou em forma de vale-livro, vale-curso, reconhecimento dentro da organização e até oportunidade de promoção na firma.

Também é importante criar um ranking em que você disponibilize as pontuações de cada colaborador a todos os jogadores e deixa visualmente disponíveis a informação de quem está “na frente”.

Assim, é criada uma competição saudável entre os colaboradores, que passarão a comentar sobre o game dentro da empresa e buscar as melhores colocações.

Para ambas as abordagens

Tanto para desenvolver games focados no cliente, quanto no colaborador, algumas regras são substanciais e é delas que falaremos agora.

Para o seu jogo ser um sucesso é preciso trabalhar o caráter lúdico da brincadeira. Nada de layouts sem graça e institucionais, trabalhe o imaginário e a criatividade através de um tema interessante e diferente.  

Vale lembrar que as metas de vendas precisam de atenção na hora de serem criadas, do contrário, não há técnica que faça com que elas sejam batidas e gerem retorno.

Apesar de não ser fácil enxergar se as metas de vendas estão realmente adequadas para a sua empresa, existem duas perguntas que podem te ajudar a resolver essa questão.

Como saber se as metas de vendas estão adequadas?

Para saber se as suas metas de vendas estão adequadas à realidade da sua empresa e têm capacidade de gerar bons retornos, responda às duas perguntas abaixo:

  • Minhas metas de vendas são alcançáveis?
  • Minhas metas de vendas são desafiadoras?

Se você respondeu “sim” para essas duas perguntas simples, parabéns, suas metas estão adequadas. Do contrário, é preciso revê-las, e vamos explicar o porquê.

Quando as metas não são alcançáveis, ou seja, estão muito fora da realidade da empresa e é impossível sua equipe conseguir batê-las, elas tendem a desestimular sua equipe.

Acredite. Se seus funcionários não acreditarem que a meta é possível de ser alcançada, é muito provável que eles nem mesmo se esforcem para chegar perto.

Por outro lado, se as metas forem muito fáceis, ou seja, não forem desafiadoras, sua equipe nem vai precisar se esforçar para batê-las e vai fazer menos do que poderia ter feito.

Por isso, lembre-se: suas metas de vendas devem ser alcançáveis e desafiadoras. Só assim seus colaboradores irão se sentir desafiados a conquistar esse objetivo.

Vale lembrar que não é aconselhável diminuir o ritmo após bater suas metas. Parabenize seu time pelo resultado, criem um momento de comemoração e depois disso continuem o trabalho duro.

Exemplos de games

Como o foco do nosso texto é trabalhar o auxílio às metas de vendas, vamos dar alguns exemplos de temas que você pode abordar para trabalhar com esse objetivo.

 

  • Corrida

 

O tema de corrida estimula a competitividade e a ideia de “ultrapassar” literalmente seu adversário pode ser uma boa ferramenta de motivação.

Nesse tema não é necessário criar um ranking naqueles formatos tradicionais. A própria pista de corrida serve como ranking, uma vez que mostra onde se encontra cada avatar.

Além disso, o tema de corrida não limita sua criatividade à uma corrida de carros. Você pode optar por uma corrida de balões, por exemplo, em que a “pista” será a altura em que eles estão no céu.

  • Espaçonave versus alienígenas

Naquele formato de espaçonave atirando nos inimigos, temos a opção de trabalhar capacitação ou educação do próprio consumidor.

No primeiro caso, para trabalhar as metas de vendas você pode colocar objetos que representem os produtos e seus preços (que podem estar certos ou não). Quando o vendedor vir um produto com o preço errado deve destruí-lo.

Você ainda pode trabalhar esse tipo de game para os consumidores. Vamos supor que sua empresa é do ramo de cosméticos. Você pode criar um game com produtos para o cabelo e aí o jogador deve atirar naqueles que não for para cabelo.

 

  • Jogo de tabuleiro estilo dados

 

Você certamente conhece aquele jogo de tabuleiro clássico em que os jogadores jogam os dados e andam as casas com seus peões dentro do tabuleiro, não é?

Esse é um ótimo estilo de jogo para trabalhar gamificação, pois transforma as etapas em algo mais visual. Para isso, troque a aleatoriedade dos dados por mini-desafios que, ao serem cumpridos, dão ao jogador a oportunidade de andar no tabuleiro.

Para que as pessoas se sintam motivadas a cumprir esses pequenos desafios, você precisa oferecer bonificações para quando o jogador atingir determinada posição.

No caso de clientes, pode ser um brinde da loja ou um desconto; já para os colaboradores pode ser uma bônus monetário ou vale-curso.

Agora que você já sabe como utilizar a gamificação para bater suas metas de vendas, aprenda como criar uma campanha de vendas efetiva no nosso artigo sobre o assunto.

estratégias de vendas

Estratégias de vendas: aprenda 6 formas de vender mais ainda hoje

Conquistar novos clientes, vender mais e estar na frente da concorrência são objetivos de toda empresa que quer crescer no mercado, e utilizar as estratégias de vendas certas podem fazer toda a diferença.

Estratégias de vendas são formas de induzir o consumidor – direta ou indiretamente – a fechar negócio com uma empresa específica.

Pensar em estratégias de vendas é imprescindível na hora de fazer o planejamento estratégico pois elas ajudarão a equipe a bater as metas de vendas.

No artigo de hoje, vamos te mostrar 6 estratégias de vendas que você pode utilizar ou passar para a sua equipe de vendas para assim vender mais!

Ficou interessado? Então continue a leitura!

6 estratégias de vendas para vender mais ainda hoje

Fique atento às nossas dicas para você vender mais e aumentar a receita da sua empresa.

Crie campanhas com senso de urgência

Uma boa estratégia é criar senso de urgência, pois assim o nosso cérebro precisa tomar a decisão rapidamente e não tem tempo de mudar de ideia.

Criar um senso de urgência é uma das estratégias de vendas mais utilizadas pelo marketing. Chamadas como “ligue agora e ganhe 25% de desconto” e “promoção válida só até amanhã” são apenas alguns exemplos.

O senso de urgência pode ser intensificado com o uso de cores quentes e contrastes fortes, além de palavras e expressões como “agora”, “apenas hoje”, “por tempo limitado”, “enquanto durarem os estoques” etc.

Faça prospecção ativa

Prospectar ativamente um cliente significa encontrar um cliente em potencial e ir até ele fazer sua oferta. Essa procura por leads qualificados fica por conta do departamento de marketing.

Os clientes trazidos por prospecção ativa, portanto, chegam na empresa pelo marketing. Essa função não é da equipe de vendas, pois requer outro tipo de capacitação.

Prospectar clientes é bom por 2 motivos:

  1. A empresa não fica dependente de propagandas e marketing boca-a-boca para conseguir novos clientes;
  2. A empresa estuda os clientes em potencial e escolhe o cliente que seria mais estratégico para ela ter na organização.

Ofereça períodos de teste e amostras de produtos

Uma das estratégias de vendas mais comuns é a de oferecer testes ao consumidor. Assim, o cliente, que não consegue o produto, tem a oportunidade de experimentar e fechar negócio.

Com isso, a pessoa tem certeza que não vai se decepcionar com o produto comprado, pois já vai ter usado produto.

Uma marca que tem utilizado muito essa estratégia é a O Boticário. A empresa tem oferecido produtos que estão em lançamento gratuitamente ao consumidor, assim a pessoa pode se apaixonar pelo produto e, depois que a campanha acabar, comprará com seu próprio dinheiro.

Além disso, esse tipo de campanha traz muita visibilidade para a marca, que consegue  chegar a públicos que antes tinha dificuldade em atingir.

Elabore um programa de fidelidade

Existem dois tipos de estratégias de vendas: aquelas que são focados em atrair novos clientes e aquelas que querem fazer com que clientes antigos voltem a comprar.

Os programas de fidelidade são um exemplo desse segundo caso, em que a empresa procura vender novamente a um cliente que já comprou anteriormente da marca.

Vale lembrar que, segundo Kotler, vender para alguém que já é seu cliente é de 5 a 7 vezes mais barato que conquistar um novo cliente.  

Por conta disso, cada vez mais as empresas têm investido em programas de fidelidade para criar relacionamentos duradouros com o cliente.

Para diferenciar seu programa de fidelidade dos da concorrência, é possível gamifica-los, ou seja, transformá-lo em jogos divertidos e lúdicos.

Esse tipo de estratégia faz com que as pessoas interajam com o marca, conhecendo seus valores e produtos e começando a criar relacionamentos que, posteriormente, influenciarão na decisão de compra.

Personalize

A personalização também é uma forma de vender mais, pois faz com que o cliente sinta que o produto foi feito exclusivamente para ele.

Uma empresa que vende agendas, por exemplo, pode personalizar a capa das agendas com o nome da pessoa e assim cobrar mais pelo produto.

A maioria dos clientes gosta de ter um produto personalizado, e ele não precisa ser personalizado apenas com o nome da pessoa, a marca pode oferecer cores e estampas diferenciadas, formatos, opção de fotos, enfim, tudo o que a criatividade permitir.

Outra forma de personalizar é oferecer descontos quando o cliente compra mais de um produto, os famosos combos.

Essa é uma personalização limitada, pois não é cliente quem decide quais são os produtos que unidos gerarão desconto, no entanto, ainda assim o cliente sente que está levando vantagem.

Por exemplo, o Spotify, aplicativo responsável por reproduzir playlists no computador ou em dispositivos móveis, tem um algoritmo que capta o tipo de música que o usuário escuta e gera novas playlist com música que ele supostamente gostaria de conhecer.  

Utilize a técnica do rapport

O rapport é uma técnica utilizada para persuadir as pessoas a fazerem algo específico. Ela pode ser utilizada no mundo do negócio para influenciar o cliente a fechar negócio.

Algumas pessoas acham a técnica do rapport é anti-ética, pois faz com que o cliente sinta que é entendido pelo vendedor, aumentando suas chances de aceitar a proposta.

Quando o rapport é atingido, o cliente não percebe que está sendo “manipulado”, pois ele passa a confiar no vendedor.

No entanto, quando você tenta vender algo sem criar um relacionamento, sua probabilidade de fechar negócio é muito baixa, por isso é necessário que a relação de confiança seja atingida.

Quando o cliente confia no vendedor, a relação é totalmente diferente. Para criar rapport é preciso que quem vende se mostre parecido com quem compra, sendo assim:

  • Sorria;
  • Seja otimista;
  • Imite os movimentos do cliente (com descrição e sutileza);
  • Chame o cliente pelo nome;
  • Escute o que ele tem a dizer
  • Converse com o cliente no mesmo ritmo de fala dele;
  • Utilize as mesmas expressões com o cliente.

Dessa forma, o consumidor sente que o vendedor é parecido com ele e por isso entende suas dores, expectativas e sabe exatamente o que ele precisa comprar.

Algumas estratégias de vendas ficam bem mais dinâmicas e divertidas quando é utilizada a técnica da gamificação. Quer saber mais sobre isso? Entre em contato com a Engage, a plataforma de engajamento gamificada que transforma estratégia em resultado.

motivação profissional

Motivação Profissional: 9 técnicas para incentivar seu time

Uma empresa é feita de pessoas. Sem as pessoas certas trabalhando com dedicação, não há organização que se sustente por muito tempo. A motivação profissional é essencial no desafio de manter uma equipe engajada e trabalhando pelos objetivos certos.

Conquistar a motivação profissional dos funcionário com estímulos financeiros é muito fácil. No artigo vamos trazer 9 técnicas/dicas/ideias para você motivar sua equipe sem aumentos salariais ou bônus monetários.

Aposto que ficou interessado, não é mesmo? Então vamos logo às dicas!

Crie um ambiente propício para o trabalho (mas não chato)

O ambiente de trabalho afeta e muito a motivação profissional dos colaboradores. Um ambiente confuso, barulhento e desconfortável torna-se um problema para a empresa.

Isso porque esse tipo de ambiente dificulta a concentração das pessoas, podendo causar dores de cabeça, dores no corpo e mal-estar.

Por outro lado, o ambiente de trabalho também não deve ser chato, com todos sentados em total silêncio durante todo o tempo de trabalho. É preciso que haja momentos de descontração intercalado com os momento de grande concentração.

Estude e entenda qual é o perfil dos profissionais que trabalham com você, para que seja possível criar um ambiente que estimule o trabalho sem ficar maçante.

Ofereça treinamento e capacitação

Nada é pior que sentir que está estagnado, fazendo a mesma coisa todos os dias e não conseguindo aprimorar suas habilidades técnicas na área.

Aprender coisas novas, se desenvolver e se capacitar é uma motivação profissional natural para o colaborador. Por isso, ofereça treinamentos e capacitações para sua equipe sempre que possível.

Essas capacitações podem ser pontuais (um dia na organização em que todos façam um treinamento coletivo) ou podem estar disponíveis em alguma plataforma para o próprio colaborador acessar quando quiser.   

Atenção aos benefícios

Benefícios também são uma forma de motivação profissional.

Hoje em dia é comum pessoas trocarem de empresa por conta de um vale-alimentação melhor ou plano de saúde mais completo.

Por isso, esteja atento aos benefícios oferecidos pelo mercado na sua região e invista nos benefícios certos para os seus funcionários.

Todo mundo quer trabalhar em uma empresa que se preocupe em oferecer vale-transporte, plano de saúde, abonos, ou seja, benefícios que garantam o bem-estar dos seus colaboradores.

Empresas que oferecem bons benefícios geralmente são as mais procuradas para processos seletivos de estágio e programa trainee.

Não deixe o aniversário de ninguém passar em branco (nem o da empresa)

Se seu objetivo é manter a motivação profissional em alta, toda oportunidade é válida para comemorações!

Aproveite os aniversários dos seus funcionários para mostrar a eles que são importantes para a empresa. Chocolates, balas e bilhetinhos são capazes de passar o recado.

No caso de organizações que possuem muitos funcionários, é comum a “festinha de aniversariantes do mês”, que reúne todos os aniversariantes daquele mês em um único dia para confraternização.

Mesmo que você opte por essa prática, ainda recomendamos pelo menos um recadinho de feliz aniversário no dia correto de cada um, pois isso mostra que a empresa respeita a individualidade de cada funcionário.   

E se todos os aniversários merecem comemoração, por que não o da empresa? Os aniversários da firma devem ser festejado, e muito!

Por isso, no dia do aniversário da organização é válido encomendar um bolo gostoso, reunir a empresa para cantar parabéns e criar bons momentos e recordações.

Ofereça um plano de carreira

O plano de carreira é uma boa estratégia de motivação profissional, pois mostra ao colaborador que a empresa tem planos de continuar crescendo com ele.

Esse guia apresenta o caminho que o funcionário poderá seguir dentro da organização, além de quais passos (certificações, treinamentos etc) ele precisará dar para atingir cada novo degrau.

O plano de carreira não deve ser imutável, o plano original deve poder ser alterado se a empresa vir que o colaborador pode seguir por outros caminhos e se o funcionário concordar.

Normalmente este acompanhamento é feito pela equipe de Gestão de Pessoas da empresa, que é responsável pela motivação profissional, engajamento, clima, feedbacks e processos seletivos.  

Para saber mais sobre planos de carreira, clique aqui.

Comemore as pequenas conquistas

Vocês bateram uma meta? Chegou um cliente novo na empresa? Alguém vai ser papai ou mamãe? Comemore! Comemore sempre! Comemore muito!

Isso é essencial para manter a motivação profissional viva na organização. Por isso, quando houver alguma boa novidade, dê-la em primeira mão aos seus funcionários e comemore junto.

Procure também parabenizar as conquistas individuais da sua equipe. No caso de algum funcionário que se destacou ou passou em alguma prova de certificação, certifique-se de parabenizá-lo.

Trabalhe o clima organizacional

Um bom clima organizacional é indispensável para as empresas que desejam diminuir sua rotatividade de membros e aumentar a produtividade e a motivação profissional da sua equipe.

Para trabalhar o clima da sua empresa é preciso ter muito tato e boa percepção, pois muitas vezes as pessoas não falam aquilo que as está incomodando.

Por isso, esteja atento aos seus funcionários. Eles parecem felizes com seus trabalhos? Alguém demonstrou algum tipo de descontentamento? A produtividade está baixa?

Tente enxergar sua equipe individualmente e acompanhar a trajetória de cada um dentro da organização. Assim, seus funcionários saberão que se tiverem algum problema, poderão contar com você.  

Ao perceber que algo não está certo, entenda o porquê e trabalhe pontualmente para melhorar as coisas, só assim sua empresa conquistará um excelente clima organizacional.

Implemente um programa de incentivo a motivação profissional

Os programas de incentivo são uma excelente maneira de trabalhar a motivação profissional, pois trabalham com bonificações por desempenho.

Uma das coisas que mais desmotiva os profissionais é ver que ele se dedica mais que os companheiros e recebe o mesmo salário e reconhecimento.

Se todos serão tratados iguais, por que se esforçar?

Para resolver essa questão os programas de incentivo foram criados. A comissão de vendas, as premiações por metas batidas e os bônus anuais são formas tradicionais de incentivo, no entanto, não deixe de considerar campanhas pontuais mais lúdicas e objetivas.

Os prêmios dessas campanhas podem ser viagens, vale-livros e até reconhecimento interno. Isso certamente ajudará na missão de garantir a motivação profissional da sua equipe.

Gamifique as metas da sua empresa

Utilizar as técnicas de gamificação para trabalhar as metas da sua empresa é uma forma de transformar o desafio em algo lúdico e divertido, fazendo o colaborador se envolver naturalmente.

Esse tipo de método trabalha as metas da organização como desafios de um game. O funcionário fica imerso no contexto do jogo com seu avatar próprio, desafios, rankings e premiações – e isso se torna uma forma de motivação profissional para o cumprimento das metas estipuladas.   

As metas de vendas, que são de responsabilidade principal da equipe de vendas, são ainda mais gamificáveis.  Para saber mais sobre gamificação de metas de vendas, clique aqui.

Seguindo essas dicas você certamente garantirá a motivação profissional que sempre sonhou ver na sua equipe. Até a próxima!

gamificação e storytelling

Gamificação e Storytelling: técnicas poderosas para sua empresa

A época de empresas chatas e engomadinhas, que só querem que o funcionário produto sem proporcionar-lhe nada em troca além do salário, já passou. Algumas das maiores empresas do mundo hoje em dia são dinâmicas e divertidas e utilizam as técnicas de gamificação e storytelling.

Claro que ainda existem organizações que não se preocupam com o clima organizacional e a satisfação dos funcionários, no entanto, estas não conseguirão tantos inscritos em seus processos seletivos, certo?  

Claro que ainda existem organizações que não se preocupam com o clima organizacional e a satisfação dos funcionários, no entanto, estas não conseguirão tantos inscritos em seus processos seletivos, certo?  

As empresas mais dinâmicas e interativas, que mostram preocupação com a sua equipe, são as que as pessoas mais sonham em trabalhar.

O Google, por exemplo, é muito procurado por pessoas de todas as idades por conta da sua relação com seus colaboradores. A empresa é conhecida por criar ambientes descontraídos que estimulam o trabalho em equipe e o “pensar fora da caixa”.   

Mas o que gamificação e storytelling tem a ver com isso?

Tudo! Essas são duas técnicas que, se utilizadas em empresas e de maneira correta, são capazes de envolver funcionários nos processos e metas da empresas, aumentando seu engajamento e motivação.

No artigo de hoje você vai aprender:

  • O que é gamificação e storytelling;
  • Como as técnicas de gamificação e storytelling podem ser benéficas para a sua empresa;
  • E como implementar gamificação e storytelling na sua organização.

Ficou interessado? Então vamos lá.

O que é gamificação e como ela auxiliará minha empresa?

Gamificação consiste em utilizar as técnicas dos games para gerar algum tipo de resultado em um empresa.

Então, por exemplo, se a empresa precisa que os funcionários se capacitem mais, são montados mini-games com desafios que envolvam o conteúdo do treinamento necessário.

Assim, o aprendizado acontece de maneira leve e lúdica. Essa é a ideia geral da gamificação: resolver gaps da organização transformando o trabalho e o estudo em uma grande brincadeira.

Todo mundo já se pegou viciado em algum game, nem que seja quando criança. PacMan, Super Mario Bros, The Sims e Age of Empire são apenas alguns exemplos de jogos que cativaram gerações.

A gamificação traz a leveza do jogos para o ambiente corporativo, incentivando o trabalho em equipe e engajando os funcionários em relação às metas e objetivos da organização.

Para entender melhor como a gamificação pode ajudar no aumento da produtividade, clique aqui.

O que é storytelling e como ele auxiliará minha empresa?

Já o storytelling tem o mesmo objetivo que as técnicas de gamificação, porém a forma de alcançá-lo é diferente. Enquanto a gamificação utiliza as técnicas dos games para motivar os funcionários, o storytelling seduz os colaboradores através da contação de histórias.

Uma pesquisa da Universidade Presbiteriana Mackenzie mostrou que apenas 5% das pessoas lembram de dados vistos em gráficos e estatísticas, enquanto 63% é capaz de recordar detalhes de histórias contadas.

A história da chapeuzinho vermelho, por exemplo, é utilizada por pais e mães em todo o mundo para ensinar a criança a não desobedecer, pois coisas ruins podem acontecer.

Boas histórias são usadas como instrumento de convencimento há séculos e, há alguns anos, começaram a ser utilizadas também por empresas para influenciar, motivar e até transferir novos conhecimentos.  

Ela serve tanto para a visão individual quanto para criar a ideia de trabalho em equipe e melhorar o clima organizacional.

Além disso, essa na narrativa organizacional também pode ajudar na internalização dos valores da empresa e no entendimento de metas e objetivos-macro.

Como aplicar gamificação e storytelling na minha empresa?

Ambas as técnicas apresentadas aqui gamificação e storytelling – utilizam esse caráter lúdico para gerar os resultados pretendidos pelos gestores.

Mas como aplicar as técnicas de gamificação e storytelling na sua empresa? É o que explicaremos a seguir!

Storytelling

Para utilizar essa técnica de maneira eficaz e trazendo as melhorias que a empresa necessita é preciso primeiro descobrir seus principais gaps.

Feito isso, pense em histórias que reflitam bem a organização e, principalmente, situações em que os problemas foram contornados com soluções criativas e trabalho em equipe.

Depois disso, pense qual será a maneira mais envolvente de contar a história. Ordem cronológica? De trás para frente? Omitindo quem é o personagem principal e só contando no final?  

É certo que sua história precisa ter começo, meio e fim, mas ela pode ser contada de diversas maneiras. Escolha aquela que mais vai cativar seu público.

Isso ajuda a manter a atenção dos seus ouvintes até o fim, o que é algo imprescindível para fazer a sua história não ser esquecida.

Além disso, é preciso contá-la dentro de um contexto, ou seja, seus ouvintes precisam saber que essa não é uma história aleatória e entenderem o sentido da narrativa conforme os fatos forem contados.

Quando estiver contando a sua história, mantenha um bom ritmo de fala e seja claro. Uma boa dicção é importante para conseguir passar a emoção necessária daquele conto.

O importante é estar atento às reações da plateia, são elas que ditarão o melhor ritmo e a linguagem mais adequada.

E por último: procure sempre passar emoção com as histórias. Uma história emocionante é fácil de gerar uma identificação e se torna difícil de ser esquecida.

Gamificação

Aqui daremos algumas dicas gerais de como gamificar as metas da sua empresa. Vale lembrar que para obter melhores resultados é preciso personalizar as estratégias para a realidade da organização.  

Bom, o primeiro passo para inserir sua equipe no universo da gamificação é criar desafios pequenos e maiores que gerem pontuações para quem os cumprir.

Então, por exemplo, se a sua meta é aumentar o número de vendas, um dos desafios pode ser vender x produtos durante 1 dia de trabalho. O colaborador que bater essa meta ganha uma pontuação pré-estabelecida, que o ajudará a manter uma melhor colocação no ranking do jogo.

Aliás, este é o próximo passo: criar um ranking entre os jogadores, de forma que a pontuação de cada usuário fique disponível, estimulando assim a competição saudável.

Você também pode utilizar esse ranking para estimular as capacitações. Nesse caso, os funcionários também ganham pontos a cada treinamento feito, ajudando na disputa final.

Mas por que seus funcionários gastariam tempo e energia para ficar no topo do ranking? Simples, porque ao final de um tempo determinado o primeiro (ou primeiros) colocado(s) ganham um prêmio.

Essas bonificação – que podem ou não ser monetárias – garantem a motivação contínua da equipe em todos os desafios.

As técnicas mais eficazes para gamificação e storytelling dependem do objetivo da organização. Para ter acesso a um conteúdo gamificado exclusivo para a sua orgaização, acesse Engage.bz e faça um teste gratuito.